Arquivo de outubro, 2010

Hoje foi o final do espetáculo O Magico de Oz, hoje as cortinas se fecharam pela ultima vez e apesar de eu ter acabado de chegar do teatro já sinto saudades da peça, do pessoal, do camarim, do publico… É estranho que de certa forma eu estava doida para o espetaculo chegar ao fim, mas agora que chegou eu gostaria de ficar em cartaz por mais tempo.

O motivo que eu estava doida para acabar logo a temporada é que quando estou em época de peça eu não bebo e não saio, principalmente essa que era sabado e domingo, eu opto por poupar a voz, principalmente porque quando eu bebo eu rapidamente fico sem voz, então para evitar de ter problemas na hora de interpretar.

Mas hoje a peça teve um gostinho de saudade, isso não atrapalhou a nossa interpretação, na verdade até foi melhor, nos divertimos e brincamos no palco, acho que foi a melhor apresentação da temporada, mas pelo menos o sentimento em mim era de que, aquela era a ultima vez que eu estava apresentando o espetaculo.

Sei que pode parecer exagero, principalmente porque talvez façamos um projeto escola, ou seja existe a esperança de voltarmos a apresentar, mas é diferente, eu não tenho mais que semana que vem ir para o teatro, eu não sei quando verei novamente os demais atores e isso dá uma grande saudade.

Certos momentos marcantes ficarão gravados para sempre, como o Bruno de novo nos apressando “Vocês já estão prontos? Faltam 10 minutos para abrir o teatro”, e a Mary sempre socorrendo a gente por trás da cochia, ajudando a arrumar o nariz, a mandar a fumaça,a dar uma de Magaiver e com um elastico, palito e um saco arrumando o cenário quebrado. Não me esqueço é claro do Mateus, que sempre ficava lá atrás puxando as palmas do publico, só faltava aquela plaquinha de “Aplausos” para ele. Temos também a Janaina, nossa coreógrafa que com toda a paciência conseguiu fazer com que em menos de um mês, que aprendêssemos as coreografias

Outros também que não serão esquecidos, como o vampiro brasileiro do Oswaldo e suas imitações que sempre nos fazia rir, o Rob durante os ensaios e seus cuidados com os pequenos animais, cada formiga que aparecia no palco do JBS era devolvida a natureza com todo o cuidado do mundo. O Guto com suas técnicas vocais “O peito do pé de Pedro é preto…”. A Liana e seu inglês perfeito que fazia com que realmente a gente tivesse que ter uma tecla SAP as vezes. A Carol com toda a sua responsabilidade mesmo sendo nova, sério se ela continuar assim em breve estará na TV e é claro a Natalia, que com seus improvissos da sua corcunda falante rendeu ótimas risadas.

E é claro que não podemos esquecer da Angela, sem a qual nada disso teria acontecido, ela que esteve sempre ali, pegando no nosso pé para que pudéssemos dar sempre tudo o que tinhamos, para que não fôssemos apenas bons e sim ótimos.

Foram meses e muitos meses de ensaio, semanas de dedicação e agora eu não consigo dizer Adeus simplesmente, eu apenas posso dizer que valeu muito a pena trabalhar com esse pessoal todo, aprendi muito com eles e espero ter ensinado algo também. Sentirei saudades dos ensaios e das apresentações, mas termino a temporada com a tranquilidade de alguem que fez o seu melhor.

E agora as cortinas se fecharam de vez…

Anúncios

Quando uma velha senhora morreu na seção para o tratamento de doenças da velhice em uma pequena clínica perto de Dundee, na Escócia, todos estavam convencidos de que ela não havia deixado nada de valor.

Então, quando as enfermeiras verificaram seus poucos pertences, eles encontraram um poema. Sua qualidade e conteúdo impressionaram todas as pessoas, e todas as enfermeiras queriam uma cópia da mesma.

Uma delas levou uma cópia para a Irlanda.
A única herança que a velha deixou a seus sucessores foi publicado na edição de Natal da notícia da União para a Saúde Mental na Irlanda do Norte.

Então, esta velha senhora da Escócia, sem posses materiais para deixar ao mundo, é a autora deste poema “anônimo” que circula na Internet.

A Velha Rabugenta

Que vêem amigas?
Que vêem?
Que pensam quando me olham?

Uma velha rabugenta não muito inteligente de hábitos incertos, com seus olhos sonhadores fixos ao longe?

A velha que cospe comida
Que não responde ao tentar ser convencida…
“De, fazer um pequeno esforço?”

A velha,
que vocês acreditam que não se dá conta das coisas que vocês fazem e que continuamente perde a sua escova ou o sapato?

A velha,
que contra sua vontade, mas humildemente lhes permite a fazer o que queiram, que me banhem e me alimentem só para o dia passar mais depressa….

É isso que vocês acham?
É isso que vocês vêem?
Se assim for, abram os olhos, amigas, porque isso que vocês vêem não sou eu!

Vou lhes dizer quem sou, quando estou sentada aqui, tão tranquila como me ordenaram…

Sou uma menina de 10 anos, que tem pai e mãe, irmãos e irmãs que se amam.

Sou uma jovenzinha de 16 anos.
Com asas nos pés, e que sonha encontrar seu amado.

Sou uma noiva aos 20,
Que o coração salta nas lembranças,
Quando fiz a promessa
Que me uniu até o fim de meus dias com o AMOR de minha vida.

Sou ainda uma moça com 25 anos,
Que tem seus filhos,
Que precisam que eu os guie…
Tenho um lugar seguro e feliz !

Sou a mulher com 30 anos.
Onde os filhos crescem rápido,
E estamos unidos com laços que deveriam durar para sempre…

Quando tenho 40 anos
Meus filhos já cresceram
E não estão em casa…
Mas ao meu lado está meu marido
Que me acalente quando estou triste.

Aos cinquenta, mais uma vez
Comigo deixam os bebês, meus netos, e de novo tenho a alegria das crianças, meus entes queridos junto a mim

Aos 60 anos,
sobre mim nuvens escuras aparecem, meu marido está morto; e quando olho meu futuro me arrepio toda de terror.

Os meus filhos se foram, e agora tem os seus próprios filhos…
Então penso em tudo o que aconteceu e no amor que conheci.

Agora sou uma velha.
Que cruel é a natureza….
A velhice é uma piada
Que transforma um ser humano
Em um alienado.

O corpo murcha
Os atrativos e a força desaparecem
Ali, onde uma vez teve um coração
Agora há uma pedra.

No entanto, nestas ruínas, a menina de 16 anos ainda está viva.
E o meu coração cansado, ainda está repleto de sentimentos Vivos e conhecidos

Recordo os dias felizes e tristes
Em meus pensamentos volto a amar e a viver o meu passado.

Penso em todos esses anos
Que foram, ao mesmo tempo poucos
Mas que passaram muito rápido,
E aceito o inevitável..
Que nada pode durar para sempre…

…por isso, abram seus olhos e vejam
Diante de vocês não está uma velha mal-humorada
Diante de vocês estou apenas “EU…”
Uma menina, mulher e senhora Viva…!!
E com todos os sentimentos de uma vida…”

Lembrem deste poema da próxima vez que se encontrar com uma pessoa idosa mal-humorada e não a rejeitem,
Sem olhar primero a sua Alma Jovem…

Você… vai estar algum dia
em seu lugar…

“Tia me dá um trocado aí para comprar o leite das crianças”

Tenho certeza que vocês já devem ter ouvido um morador de rua falar isso, geralmente é falado por mulheres com umas 10 crianças ao redor dela, ela usa essas crianças para te deixar comovido e assim você dar mais dinheiro a elas, muitas vezes as crianças não são todas dela, mas é mais fácil ganhar dinheiro assim.

Mas de boa, não tem nada que me irrite mais do que uma mulher chegar e falar “Tia me dá um trocado aí para comprar o leite das crianças”, eu tenho que contar até um milhão para poder responder apenas não, porque de boa minha vontade é responder “Tia é o caralho, eu não tenho sobrinha desse tamanho” ou então “Porra, se não tem dinheiro nem para se sustentar para de colocar filho no mundo”. Sério cara, porque acho que é proporcional, quanto mais pobre mais filho tem, nunca ouviu falar de camisinha não?

Se um dia eu pudesse criar uma lei, a primeira lei que eu faria era castrar todos os moradores de rua, pode parecer preconceito, mas cara já que não consegue controlar o fogo no rabo, pelo menos não vai mais fazer filho para eles não passarem fome.

Sério cara, se não tem uma situação boa para que vai ter filho? Para que os outros criem? Porque realmente quem acaba criando é o pessoal que dá dinheiro e talz, realmente é fácil abrir as pernas e ter filhos e deixar o cuidado da alimentação deles nas costas dos outros, assim qualquer um faz.

Eu trabalho no prédio de uma igreja e lá tem uma mulher que tem um filho de sei lá, uns dois anos eu acho, lógico que essa mulher ganha rios de dinheiro de todas as velhinhas cristãs que vão lá e ficam com pena, eu não dou dinheiro, a mulher nem cuida da criança, teve um dia que o garoto que não sabe andar, sabe apenas engatinhar estava quase chegando no elevador, para isso ele subiu uma rampa, engatinhou bastante e estava subindo as escadas, por mais que o garoto seja rápido engatinhando, ela teria conseguido alcança-lo se quisesse.

Um dia eu tinha esquecido de levar almoço e estava sem dinheiro, mas ali perto tem um MC Donald’s onde eu compro casquinha direto e com isso tinha um daqueles cartões que eles dão de fidelidade onde comprando acho que 4 casquinhas a 5 é de graça, algo assim, eu então para não ficar de barriga vazia levei o meu cartão que já estava na casquinha grátis para tomar uma casquinha, ai eu toda feliz com a minha casquinha e veio a mulher sozinha, o filho tava engatinhando por aí. “Tia!!! Me dá o sorvete para eu dar para o meu filho”, eu a ignorei e ela continuou até o momento que eu falei um não e ela veio respondendo. “É por isso que a gente começa a roubar, quando pede ninguem dá” eu não me controlei e tive que responder. “É por isso que eu sou a favor da frase ‘bandido bom é bandido morto'”. Bem, depois dessa ela nunca mais me incomodou.

Eu sei que vocês devem agora estar me condenando falando que ela não tem culpa de morar na rua, que ninguém da oportunidade e tudo mais, mas não é bem assim, como eu disse o prédio é na frente da igreja e o padre sempre pede para ninguém ajudar esses que pedem esmola na frente da igreja, não o padre não é maldoso, na verdade eu não sei se ele é, mas ele não faz isso por maldade, ele disse que já ofereceram um trabalho para os que pedem esmola ali, porém para que trabalhar quando se ganha dinheiro sem precisar fazer nada?

É por isso que eu tenho raiva desse povo, uma vez, eu tinha uns 16 anos e consegui um bico de final de semana em uma locadora, ai na hora do almoço eu fui em uma lanchonete que tinha perto da locadora e pedi um lanche, vinha de graça com o lanche uma torta, eu estava comendo o lanche e a torta eu pedi para colocar para viagem, porque eu sabia que só o lanche me deixaria cheia e iria comer a torta depois na locadora mesmo, porém veio uma garota com a minha idade aproximadamente me pedindo dinheiro para comprar algo para ela comer porque ela estava com fome, eu na minha maior boa vontade, estava sem dinheiro pois só receberia no final do dia e o lanche eu paguei com um vale refeição, ofereci minha torta que estava intocada e embalada para viagem, ela fez uma cara de nojo e disse: “Ah, se for isso eu não quero não” e saiu!!!! Eu achei o cumulo do absurdo isso.

De boa, era uma torta gostosa de chocolate que dava para se comer com os olhos e mesmo que não fosse tão boa, quem tem fome come qualquer coisa, eu falo isso por experiência própria, pois já acampei e quando não se tem realmente nada para comer, você esquece todos os caprichos e a garota estava recusando uma deliciosa torta de chocolate!!!!!

Ainda teve mais um episódio que me fez tomar raiva dos pedintes de rua, em um dia das mães aí, eu tinha uns 15 anos e meu amigo me arrumou um bico para entregar flores para a floricultura da mãe dele e ganhar uns trocados, eu aceitei e passei o dia andando debaixo do sol entregando flores, não ganhei muita coisa, mas o que eu ganhei deu para comprar um açai e flores para minha mãe, avó e irmã (que já era mãe), comprei primeiro o açai e depois voltei para comprar as flores e no caminho para a floricultura uma garota veio me pedir meu açai que eu tinha acabado de comprar, eu lhe respondi que não, porra eu passei o dia debaixo de sol, carregando flores, vasos de flores, para ganhar uma mixaria e ela vem me pedir o açai que eu tinha acabado de comprar, daí ela solta “É por isso que está assim” falando do fato de eu estar acima do peso, eu me virei para ela e falei “Olha aqui garota, eu comprei isso com o dinheiro que eu recebi por trabalhar o dia todo, se quer um porque ao inves de ficar como uma vagabunda pedindo dinheiro não trabalha também”, eu sei hoje que corri o risco de apanhar, mas não me controlei na hora.

É por essas e outras que eu tenho raiva desses pedintes de rua, quando alguem me pede dinheiro para comprar comida e eu vejo que é uma pessoa que realmente precisa, como uma velhinha, bem velhinha que tem um cartaz escrito “Se puder me ajudar com dinheirinho ou comidinha” eu sempre que tenho dou algum biscoito ou algo assim, ou como um casal de velhinhos que ficam tocando sanfona, eu sempre compro algo para eles comer, mas se eu vejo que é alguem que está de malandragem, eu não dou nada para a pessoa. Mas dinheiro? Realmente é algo que esses moradores de rua não conseguem de mim.

Achei esse post nos meus arquivos antigos, com certeza eu o vi na internet, mas não me lembro aonde, se alguem sabe onde esse conteudo foi postado, me informe para eu colocar os devidos creditos.

O que acontece com, o corpo logo após o sujeito “desocupar o beco”? Pode até parecer um assunto mórbido, mas são curiosidades que poucos sabem. Você sabia, por exemplo, que nos homens os espermatozóides só morrem 12 horas depois?

No instante da morte:

1. O coração para.
2. A pele fica rígida e adquire uma cor acinzentada.
3. Todos os músculos se relaxam.
4. A bexiga e intestinos se esvaziam.
5. A temperatura corporal cai normalmente 0,83ºC por hora a não ser que tenha fatores externos que o impeça. O fígado é o órgão que se mantém quente durante mais tempo, pelo qual se costuma medir sua temperatura para estabelecer o momento da morte.

Aos 30 minutos:

1. A pele fica meio púrpura e com aspecto ceroso.
2. Os lábios, e as unhas dos dedos empalidecem pela ausência de sangue.
3. O sangue estagna nas partes baixas do corpo, formando uma mancha de cor púrpura escura que é chamada de lividez.
4. As mãos e os pés ficam azulados.
5. Os olhos começam a afundar para o interior do crânio.

Às 4 horas:

1. Começa a aparecer o rigor mortis.
2. O enrijecimento da pele e o estancamento do sangue contínuo.
3. O rigor mortis começa a esticar os músculos durante umas 24 horas, depois das quais o corpo recuperará seu estado relaxado.

Às 12 horas:

1. O corpo está em estado de rigor mortis total.

Às 24 horas:

1. Somente agora o corpo adquire a temperatura do ambiente que lhe rodeia.
2. Nos homens, morrem os espermatozóides.
3. A cabeça e o pescoço adquirem uma cor verde-azulado.
4. Esta mesma cor começa a estender-se ao resto do corpo.
5. Neste momento começa o forte cheiro de carne podre.
6. O rosto da pessoa fica essencialmente irreconhecível.

Aos 3 dias:

1. Os gases dos tecidos corporais formam grandes bolhas debaixo da pele.
2. A totalidade do corpo começa a inchar e crescer de forma grotesca. Este processo pode acelerar se a vítima encontra-se num ambiente cálido ou na água.
3. Os fluídos começam a gotejar por todos os orifícios corporais.

Às 3 semanas:

1. A pele, cabelo e unhas estão tão soltas que podem ser retiradas com facilidade.
2. A pele se racha e arrebenta em múltiplas zonas por causa da pressão dos gases internos.
3. A decomposição continuará até que não fique nada exceto os ossos, o qual pode demorar em torno de um mês em climas quentes e dois meses em climas frios.
4. Os dentes são com freqüência o único que fica anos ou séculos depois, já que o esmalte dental é a substância corporal mais dura que existe. A mandíbula é assim mesmo a mais densa, pelo que geralmente também perdura.

Era uma vez um garoto que nasceu com uma doença que não tinha cura. Tinha 17 anos e podia morrer a qualquer momento. Sempre viveu na casa de seus pais, sob o cuidado constante de sua mãe.

Um dia decidiu sair sozinho e, com a permissão da mãe, caminhou pela sua quadra, olhando as vitrines e as pessoas que passavam. Ao passar por uma loja de discos, notou a presença de uma garota, mais ou menos da sua idade, que parecia ser feita de ternura e beleza.

Foi amor à primeira vista. Abriu a porta e entrou, sem olhar para mais nada que não a sua amada. Aproximando-se timidamente, chegou ao balcão onde ela estava.

Quando o viu, ela deu-lhe um sorriso e perguntou se podia ajudá-lo em alguma coisa. Era o sorriso mais lindo que ele já havia visto, e a emoção foi tão forte que ele mal conseguiu dizer que queria comprar um CD..

Pegou o primeiro que encontrou, sem nem olhar de quem era, e disse:

– Esse aquí…

– Quer que embrulhe para presente – perguntou a garota, sorrindo ainda mais…

Ele balançou a cabeça para dizer que sim e disse:

– É para mim mesmo mas eu gostaria que você embrulhasse.

Ela saiu do balcão e voltou, pouco depois, com o CD muito bem embalado. Ele pegou o pacote e saiu, louco de vontade de ficar por alí, admirando aquela figura divina.

Daquele dia em diante, todos as tardes voltava à loja de discos e comprava um CD qualquer. Todas as vezes a garota deixava o balcão e voltava com um embrulho cada vez mais bem feito, que ele guardava em sua gaveta, sem sequer abrir.

Ele estava apaixonado, mas tinha medo da reação dela, e assim, por mais que ela sempre o recebesse com um sorriso doce, não tinha coragem para convidá-la para sair e conversar.

Comentou sobre isso com sua mãe e ela o incentivou, muito, a chamá-la para sair. Um dia, ele se encheu de coragem e foi para a loja.

Como todos os dias comprou outro CD e, como sempre, ela foi embrulhá-lo… Quando ela não estava vendo, escondeu um papel com seu nome e telefone no balcão e saiu da loja correndo.

Alguns dias depois o telefone tocou e a mãe do jovem atendeu.

Era a garota perguntando por ele. A mãe, desconsolada, nem perguntou quem era, começou a soluçar e disse:

– Então, você não sabe, ele faleceu ontem.

Passado alguns dias mais, a mãe entrou no quarto do filho, para olhar suas roupas e ficou muito surpresa com a quantidade de CDs, todos embruhados e guardados em sua gaveta.

Ficou curiosa e decidiu abrir um deles. Ao fazê-lo, viu cair um pequeno pedaço de papel, onde estava escrito:

“Você é muito simpático, não quer me convidar para sair Eu adoraria.”

Emocionada, a mãe abriu outro CD e dele também caiu um papel que dizia o mesmo, e assim todos quantos ela abriu traziam uma mensagem de carinho e a esperança de conhecer aquele rapaz.

Assim é a vida:
Não espere demais para dizer a alguém especial aquilo que você sente.
Ainda dá tempo…

Sandman é uma revista de história em quadrinhos , sucesso de crítica e público. Foi criada por Neil Gaiman em 1988 para o selo Vertigo da Editora DC Comics. Suas histórias descrevem a vida de Sonho, o governante do Sonhar (o mundo dos sonhos) e sua interação com o universo, os homens e outras criaturas.

Ele é um Pérpetuo – os Perpétuos são manifestações antropomórficas de aspectos comuns a todos os seres vivos: Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio. Os 7 perpétuos não são deuses, mas sim entidades além, responsáveis pelo ordenamento da realidade conhecida. Só sua existência mantém coeso o universo físico e todos os seres vivos

Bem, agora que vocês tem uma vaga ideia de quem é Sandman, eu vou colocar algumas citações que tem nas revistas e que eu simplesmente adoro:

“É apenas isto: se você vai ser humano, tem um monte de coisas no pacote.
Olhos, um coração, dias e vida. Mas são os momentos que iluminam tudo.
O tempo que você não nota que está passando… é isso que faz o resto valer.”

“Sonhos não fazem promessas”

“Você já amou? É horrível, não? Você fica tão vulnerável. O amor abre o seu peito e abre o seu coração e isso significa que qualquer um pode entrar em você e bagunçar tudo. Você ergue todas essas defesas. Constrói essa armadura inteira, durante anos, para que nada possa lhe causar mal. Aí uma pessoa idiota, igualzinha a qualquer outro idiota, entra em sua vida. Você dá a essa pessoa um pedaço seu, e ela nem pediu. Um dia, ela faz alguma coisa besta como beijar você ou sorrir, e de repente sua vida não lhe pertence mais. O amor faz reféns. Ele entra em você. Devora tudo que é seu e lhe deixa chorando na escuridão. E então uma simples frase como ‘talvez devêssemos ser apenas amigos’ se transforma em estilhaços de vidro rasgando seu coração. Isso dói. Não só na sua imaginação ou mente. É uma dor na alma, uma dor no corpo, é uma verdadeira dor-que-entra-em-você-e-o-destroça-por-dentro. Nada deveria ser assim, principalmente o amor.

Odeio o amor”.

“Às vezes é um erro subir, mas é sempre um erro nunca tentar. Se você não subir, não vai cair. A verdade é essa, mas será tão ruim assim fracassar, tão duro cair? Às vezes, você desperta … outras, sim, você morre. Mas há uma terceira alternativa. Você voa.”

“Todas as histórias tem finais felizes se soubermos quando parar de conta-las, pois se você as deixa durar muito terminam sempre em morte.”

“Só tenho dois tipos de sonhos: os ruins e os terríveis. Com os ruins consigo lidar, são apenas pesadelos e logo acabam, eu acordo. Os sonhos terríveis são os sonhos bons, nos sonhos terríveis tudo vai bem…. Tudo é maravilhoso e normal. Tudo vai bem. Aí … eu acordo e ainda sou eu. E continuo aqui. E isso é realmente terrível.”

“Algumas coisas são grandes demais para serem vistas. Algumas emoções enormes demais para serem sentidas.”

“SONHEM! Sonhos moldam o mundo. Sonhos recriam o mundo, todas as noites.”

“O que ganho eu, se conquisto aquilo que busco? Um sonho, um alento, uma espuma de alegria fugidia. Quem compra o contentamento de um minuto para se lamentar uma semana?”

“Andei fazendo uma lista de tudo que não ensinam na escola. Não ensinam a amar. Não ensinam a ser famoso. Não ensinam a ser rico ou pobre. Não ensinam a se afastar de alguém que você não ama mais. Não ensinam a saber o que se passa na cabeça dos outros. Não ensinam o que dizer a alguém moribundo. Não ensinam nada que valha a pena saber”

“O mundo é tão sólido e estável quanto uma camada de espumas sob um poço sem fundo de águas negras.
Significa que somos apenas bonecas. Que não sabemos nada sobre o que realmente acontece.
Que só nos enganamos sobre controlarmos nossas vidas porque a uma distância menor do que a espessura do papel, coisas que nos levariam à loucura, se pensássemos nela por muito tempo, brincam conosco”.

“Às vezes, podemos escolher o caminho por onde seguimos. Em outras, nossas escolhas já foram feitas. E algumas vezes, simplesmente não temos escolha”

“Se houvesse tempo para voltar,
eu teria continuado.
Se houvesse tempo para
continuar,eu teria vivido”

“Por que eles culpam a mim pelos seus defeitos? Usam meu nome como se eu passasse o dia inteiro instigando-os a cometerem atos que, de outra forma, achariam repulsivos. “O demônio me forçou”. Nunca forcei ninguém a fazer nada. Nunca. Eles vivem suas vidas medíocres. Eu não as controlo de maneira alguma. Então eles morrem, vêm para cá (tendo transgredido o que acreditavam ser certo) e esperam que seus desejos de dor e retribuição sejam satisfeitos por nós. Eu não os faço vir para cá. Eles falam de mim como se eu andasse por aí comprando almas na feira, e nunca pararam para se perguntar por quê. Eu não preciso de almas. E COMO ALGUÉM PODE COMPRAR UMA ALMA? NÃO. ELES PERTENCEM A SI MESMOS… MAS ODEIAM TER QUE ENCARAR O FATO.”

“Como você se sentiria sobre a vida se a Morte fosse sua irmã mais velha?”

“Eu sei o que vocês pensam de mim, mas eu sei de coisas que nenhum de vocês sabem!”

“Eles vêem apenas o prêmio, seu maior desejo, seus sonhos… Mas preço de se receber aquilo que se quer é receber aquilo que um dia se quis.”

“Quando a primeira coisa viva surgiu, eu estava lá esperando. Quando a última coisa viva morrer, meu trabalho terá terminado… Eu colocarei as cadeiras sobre as mesas, apagarei as luzes e deixarei pra trás todo universo enquanto saio.”

“Eu te concedo o dom do despertar eterno”

“Que poder o inferno teria se os presos daqui não conseguissem sonhar com o paraíso?”

“Corpos são estranhos. Algumas pessoas têm problemas sérios com algumas coisas que acontecem no interior deles. Você descobre que dentro de alguém que você conhece só há muco, carne, limo e ossos. Eles menstruam, salivam, defecam e choram. Você sabia? Isso às vezes acaba com o romance.”

“Desespero diz pouco mas é paciente.”

Por mais que seja legal pensar que podemos simplesmente não fazer nada o dia, isso se for uma constancia chega a ser perigoso, sério, uso como exemplo uma pessoa que eu conheço, mas não irei mensiona o nome, pois o dia que eu ficar famosa e esse blog ficar famoso,vai ficar feio eu falar mal do coleguinha assim publicamente, não que eu não vá falar agora, mas não citarei nome e somente essa pessoa saberá que estou falando dela.

Essa minha conhecida, trabalha junto comigo, trabalha de 9h às 15h, contando o tempo de transporte e o tempo que ela gasta se arrumando, ela acorda as 6h e chega em casa às 16h. Com isso ela tem livre 14h por dia, tirando 8h que é necessário para dormir, ela tem sobrando 6h por dia, bem pessoas normais iriam procurar coisa para fazer, como um curso, arrumar a casa, um segundo emprego, coisas assim, mas ela não, ela me diz que de segunda a sexta ela chega em casa as 16h e vai dormir, acordando apenas às 6h do dia seguinte para trabalhar.

Caralho, ela dorme 14h por dia, sua vida não tem emoção alguma, ela não faz nada, ela não vive, ela apenas dorme, pessoa assim não tem nada na vida, então como não tem nada que dê emoção na vida, que a impulsione a acordar todos os dias o que faz? Arma briga, arma confusão, mas sentir um pouco de adrenalina que não sente o dia inteiro, energia que deveria ser gasta todos os dias pois está acumulada.

Essa garota é uma barraqueira mor, adora inventar confusão, adora jogar lenha na fogueira, ela já disse sobe brigas que teve, eu fico pensando o que leva a pessoa a arrumar brigas? Sério, ninguem sai de uma briga 100% inteiro, você se machuca, nem que seja batendo nos outros, mas se machuca e isso para que? Para porra nenhuma, acha que a vida é muito facil, tá entediada? Vá lavar uma pilha de louça suja, entra para uma ONG, se torne voluntario, faça algo util com a vida misaravel que tem, faça algo de bom para outras pessoas com a vida de merda que tem, mas porra, para de brigar, para de armar confusão.

Brigas não levam a nada, dor não leva a nada, medo, não leva a nada, o que você tem que cultivar entre os outros é o respeito e respeito e medo não andam juntos.