Arquivo da categoria ‘Filmes’

TRON: O LEGADO é uma aventura em 3D de alta tecnologia de um mundo digital que é diferente de tudo que já foi capturado na tela. Sam Flynn (Garrett Hedlund), se passa como um rebelde jovem de 27 anos, ele é assombrado pelo misterioso desaparecimento de seu pai, Kevin Flynn (Jeff Bridges), um homem que já foi conhecido como líder de video do mundo, desenvolvedora de jogos e muito bem situada no ramo.

Quando Sam investiga um estranho sinal enviado do Arcade Flynn velho, um sinal de que só poderia vir de seu pai, ele se vê puxado para um mundo digital em que Kevin ficou preso por 20 anos. Com a ajuda do destemido guerreiro Quorra (Olivia Wilde), pai e filho embarcam em uma jornada de vida ou morte através de um cyber universo visualmente impressionante.

Eu vi esse filme semana passada no Shopping Tijuca, minha irmã tinha dito para eu não perder dinheiro vendo o filme em 3D, eu teria seguido o conselho dela, porém as exibições do filme em 2D não tinha em nenhum lugar próximo da minha casa, por isso tive que ver o filme em 3D e aviso, realmente não vale a pena perder dinheiro vendo o filme em 3D.

Eles poderiam ter aproveitado essa tecnologia para fazer as motos pulares da tela por exemplo, mas não, a única diferença do 3D para o 2D é porque o efeito iluminado da roupa fica mais nítido, o que decepciona um pouco, já que eu esperava algo muito melhor do que Avatar em relação a 3D.

Mas tirando isso o filme é bem legal, os atores estão ótimos e a Olivia Wilde como Quorra, está extremamente fofa, o que é bem interessante, pois, apesar de não ter visto muitos trabalhos dela, ela sempre ataca de female fatality, então é bem interessante ver ela no papel de um personagem ingênuo.

Outro que arrasa na atuação é o Michael Sheen como o Castor / Zuse, eu confesso que amei a versatilidade dele, pois quando eu o vejo me lembro sempre do seu lobisomem (tudo de bom) Lucian em “Anjos da Noite” e em Tron: O Legado ele está muito engraçado, me lembra muito do Beetlejuice em Os Fantasmas se Divertem.

Porém é um filme para quem gosta de jogos, para quem não gosta desse tipo de filme, talvez ir ao cinema não seja a melhor opção, pois é um filme que você não perderá nada vendo em casa.

Anúncios

Ferris Bueller's Day Off

Ferris Bueller. Dotado de um senso mágico de descobrir coisas por acaso, ele é um modelo para todos aqueles que se levam muito a sério. Um cara que sabe o valor de um dia de folga. Curtindo A Vida Adoidado conta as aventuras de um jovem, Ferris (Matthew Broderick). Num dia de primavera, quase no fim do último ano, Ferris vê-se preso de um incontrolável desejo de largar a escola, ir para o centro da cidade de Chicago, juntamente com sua namorada (Mia Sara) e seu melhor amigo (Alan Ruck), para passear, experimentar um dia de liberdade, e mostrar que com alguma engenhosidade, um pouco de coragem e uma Ferrari vermelha, a vida pode ser uma aventura aos 17 anos!

Bem, essa sinopse não diz a verdade sobre o filme, afinal não fala como ele marcou uma geração inteira, de como todos quiseram ser o Ferris por um dia, independente da idade, eu me lembro que eu vi esse filme eu ainda era muito nova, mas ele me deu diversas ideias de como matar aula, mesmo eu não sendo alguém que gostava de matar aula, mas a forma como ele mata aula… É simplesmente genial… E depois a diversão dele com a namorada e o melhor amigo…

Hoje tenho 24 anos, mas tenho vontade de voltar aos meus 17 e matar um dia de aula para curtir daquela forma, eu sei que poderia curtir agora, mas não seria a mesma coisa… Eu não tenho muito o que falar sobre o filme, apenas recomenda-lo a todos de todas as idades e pedir para que um dia do ano vocês façam o que Ferris fez, para poder um dia dizer que Curtiram a Vida Adoidado…

Leo e Bia

Como dito anteriormente, domingo dia 19 de Dezembro eu fui ver o filme “Leo e Bia” de Oswaldo Montenegro e após o filme tive a oportunidade única de participar de um debate com o próprio Oswaldo Montenegro em relação ao filme, isso foi muito interessante porque tivemos a oportunidade de saber as diversas opiniões sobre a historia do filme, inclusive a opinião do escritor, diretor… Que era o próprio Oswaldo.

Leo e Bia é uma historia passada na época da ditadura, a historia fala sobre atores de um grupo teatral e suas dificuldades, os problemas pessoais de cada um e depois sobe a proposta de irem morar no RJ para concretizar o sonho deles de viver de arte. A história poderia ser uma história normal, se não fosse baseada em fatos reais.

Atenção, a partir daqui poderá conter Spoiller, quem não desejar ler que pare por aqui.

A historia é baseada nos atores da compania que Oswaldo tinha, ele na historia seria o Leo, um jovem diretor de teatro, o fato de essa historia ser baseada em fatos reais é que é o grande diferencial desse filme para mim.

Geralmente ao ver um filme, você imagina que tudo vai dar certo no final, afinal as historias tem que ter um final feliz, mas a vida real não é bem assim, existe uma frase que eu li não me lembro aonde que fala “Os livros só tem um final feliz pois a historia parou de ser contado no momento certo” ou algo assim e Leo e Bia me fez realmente pensar nisso.

É muito fácil para quem ver condenar a Bia pelas decisões dela, mas no momento que paramos para pensar que ela não é apenas um personagem, que ela é alguem real, que teve uma educação que a fez ser daquela forma, as coisas mudam totalmente.

Bia perde a grande oportunidade de seguir a carreira de atriz para ficar com a mãe, uma vez que a mãe tinha tentado se suicidar, a mãe de Bia tambpem tem uma fixação por ela, uma obsessão que muitos consideram uma doença. Uma personagem de pura ficção poderia muito bem peitar a mãe pois sabe que terá um final feliz. Mas quando essa personagem é real? Ela sabe se a sua escolha terá um final feliz? Sabe se tudo dará certo e isso muda sua escolha totalmente.

Durante o debate o Oswaldo fez uma pergunta que após a pergunta me fez pensar bastante, ele perguntou quem seriamos nós no filme? As opções eram:

A “Cachorrinha” que é uma das personagens “normal” ela não quer mudar o mundo, não perde o sonho, ela só quer realizar o seu sonho que é ser atriz, namorar e casar, seria o tipo de pessoa que estava em casa fazendo doce quando ocorreu a 2ª guerra mundial.

A Bia, que é a garota que era oprimida pela mãe, a Rapunzel que precisa ser salva, mas não joga as suas traças para ser salva. A garota que desiste do sonho para ficar com a mãe.

Por ultimo a verdadeira protagonista da historia a Marina, uma personagem de espirito livre, que está para se lançar no mundo, agarrar as oportunidades, a garota politizada que quer na verdade mudar o mundo.

É complicado pensar em uma personagem apenas para sermos, porque as condições que vivemos são diferentes, eu na hora respondi a Cachorrinha, mas na verdade eu acho que tenho um pouco de cada personagem.

Da Cachorrinha porque eu as vezes sou a pessoa a simplesmente fazer doce quando o mundo está acabando, não estou sempre metida em todos os assuntos, porque isso seria altamente cansativo.

Da Marina porque eu acho que realmente posso mudar o mundo, quero dizer, eu faço protestos, tento influenciar pessoas a fazer o que eu considero como certo, sou em parte alguem de espirito livre e que gosta de agarrar as oportunidades.

Por ultimo da Bia porque sou apegada a minha familia, eu não conseguiria sair do meu estado percebendo que a minha mãe está na pior, porém nessa parte vem uma outra grande questão, a forma como minha mãe me criou.

Fui criada vendo que a familia é sempre mais importante, na minha casa passamos por grandes problemas já, e a familia era a unica que estava presente para ajudar em todos os momentos, na minha casa crescemos com companheirismo, com um apoiando o sonho do outro, nos sacrificando as vezes para ajudar o outro a realizar o sonho. Aprendemos a contar apenas com nós mesmos. Então acho que não poderia deixar a minha familia, a minha mãe para algo assim.

Agora a criação da Bia foi diferente, a mãe dela a prendia, tinha um amor pela filha que eu não considero como amor, mas era o unico tipo de amor que a garota conhecia e como ela deixaria a unica coisa que ela tinha para trás, se arriscando em algo que não tinha certeza? Pensar dessa forma nos faz balançar pelas nossas escolhar.

Por isso acho bacana que o filme Leo e Bia me fez realmente pensar, me fez ver cada personagem, ter uma empatia por eles.

Outra coisa que é bacana no filme é a forma que ele foi feito, foram gastos R$300.000,00 no filme, o que parece ser muito, mas em relação a cinema é muito baixo o orçamento. O filme só tem um cenário que é extremamente bem aproveitado com alguns objetos em cena, jogo de luzes essas coisas, o filme tem muita coisa de teatro e isso deixa o filme ainda mais legal.

Bem, para quem leu até aqui e ainda não viu o filme, vale muito a pena ver, eu gostei bastante, não sei muito ainda o que falar sobre ele, pois é um filme que me deixou pensativa até agora (escrevo essa postagem cerca de 8h após ver o filme), é realmente um filme que fica na sua cabeça.

Nesse domingo depois do Graal fui com o Julianno, encontrar duas amigas minhas no shopping a Joana e a Clara, lá decidimos ver o filme A Rede Social, que fala a história do Facebook, confesso que não esperava tanto do filme, mas fui ver apenas para ver como a idéia do Facebook surgiu para que eu pudesse me inspirar e bem… Vamos com a sinopse do filme antes de fazer mais comentários.

A Rede Social

Em uma noite de outono em 2003, Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista de sistemas graduado em Harvard, se senta em seu computador e começa a trabalhar em uma nova ideia. Apenas seis anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social Facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e profissional.

Após ver o filme eu fiz questão de catar o Mark no facebook para adiciona-lo, vai que ele ainda estava solteiro e precisa de uma companheira? Mesmo ele sendo escroto, não importava, afinal eu não entenderia o que ele falaria mesmo… Brincadeira… (Mas Mark se você ler que eu estou escrevendo, eu aceito me casar com você com comunhão total de bens).

Eu também vi o que um fora pode fazer com a pessoa, afinal tudo começou com a namorada dele terminando com ele, pelo visto eu nunca soube aproveitar quando meus namorados terminaram comigo e irei a partir de agora tomar muito cuidado com meus namorados Nerds, vai que eu termine com um deles e ele comece a ganhar milhões e eu fique chupando dedo?

Sério gente, depois de tanto spoiler, vale a pena ver o filme, você pode tomar lições muito boas vindo dele, principalmente para quem deseja crescer nesse lance de programação.

Quem é Athena? A órfã abandonada pela mãe cigana na Transilvânia. A criança levada pelos pais adotivos para Beirute. A funcionária de um grande banco em Londres. A bem sucedida vendedora de terrenos em Dubai. A sacerdotisa de Portobello Road. Athena é o personagem principal de ‘A bruxa de Portobello’. Quem conta a história são as pessoas que conviveram com ela. Sua mãe adotiva, um jornalista interessado em vampirismo, um padre, um mestre de caligrafia, uma atriz, entre outros. Eles traçam diferentes perfis da personagem, mesclando acontecimentos com impressões, crenças próprias, anseios.

Bruxa de Portobello

Quem me indicou esse livro para ler, foi a minha irmã e pelo autor ser Paulo Coelho, eu fiquei meio sem saber se lia ou não, pois muitos o criticam, enquanto outros o idolatram, mas resolvi deixar esse conceito de lado e o li. Foi então que eu percebi que estava lendo um livro que me marcaria para sempre, ele me marcou dessa forma, principalmente devido a época que eu li, não sei se eu o tivesse lido em outra data ele teria toda a importância que teve para mim.

Ocorre que quando peguei o livro “A Bruxa de Portobello” para ler, o meu mundo tinha virado de cabeça para baixo, tudo tinha mudado, minha melhor amiga de anos (cerca de 5 anos mais ou menos), havia me traido, traido a minha amizade da pior forma possível, meu ex namorado, estavamos juntos a quase dois anos, terminou comigo e a unica amizade que me sobrou do RJ na época foi para os EUA a trabalho, eu me lembro que na época eu queria simplesmente que tudo fosse mentira, que aquelas coisas nunca tivessem acontecido, mas temos que encarar a realidade e dar a volta e “A Bruxa de Portobello” me ajudou a dar essa volta.

O livro é muito bom e te ensina a passar por cima dos problemas, a encarar a vida de frente, sem ter medo, a ver os erros apenas como forma de aprender mais e os problemas que ocorrem, uma demonstração de como você é forte e pode seguir em frente. O livro te ensina a buscar aquela força interior e simplesmente passar por cima.

Athena te ensina como ser livre, como ser alegre com pequenas coisas. Te ensina a dançar conforme a musica, mesmo que você não saiba dançar, cantar mesmo que não saiba fazer isso. Te ensina a conviver com os vazios que você tem. Te ensina como aproveitar caso perca um ônibus errado, o melhor de tudo, te ensina a viver de improviso, a viver pelo acaso.

Eu consegui superar os problemas a minha frente usando a força que Athena ensina a ter, o livro todo é contado por pessoas que conheceram Athena e você passa a querer conhece-la, passa a querer ser ela, deseja que um dia as pessoas falem de você como você é forte e uma pessoa sábia, como Athena foi.

Quando terminei de ler o livro, me sentia mais em paz, me sentia mais leve e livre. Foi nessa época que eu decidi que iria para SP encontrar com a Lee e mesmo sem nunca tê-la visto ao vivo, eu simplesmente peguei o ônibus e fui para lá e foi a melhor coisa que fiz naquele ano.

O que eu recomendo é que vocês leiam com certeza esse livro, deixem ele na sua mesa de cabeceira para ler quando estiverem com problemas, estiverem mal e captem a essência de Athena, o livro não é muito grosso, dá para lê-lo bem rápido. Para ficarem com vontade de ler, irei colocar algumas citações do livro que achei na net.

“Ninguém acende uma lâmpada para escondê-la atrás da porta: o objetivo de luz é trazer mais luz à sua volta, abrir os olhos, mostrar as maravilhas ao redor.
Ninguém oferece em sacrifício a coisa mais importante que possui: o amor.
Ninguém entrega seus sonhos nas mãos daqueles que podem destruí-lo.
Exceto Athena.”

“Não se deixe oprimir pelo que os outros pensam, já que, dentro de alguns anos, ou de algumas décadas, ou de alguns séculos, esse pensamento será modificado. Viva agora o que as pessoas só vão viver no futuro.”

“Para o forte libertar a energia, é preciso que o fraco tenha a possibilidade de se manifestar.”

“Para mim o amor preenche tudo. Não pode ser desejado – porque é um fim em si próprio. Não pode trair, porque não está ligado à posse. Não pode ser mantido preso, porque é como um rio, e transbordará as suas barreiras. Quem tentar aprisionar o amor, tem de cortar a fonte que o alimenta e, nesse caso, a água que conseguiu juntar acabará por estagnar e apodrecer.”

“Quando morrer me enterre de pé,pois passei toda minha vida de joelhos.”

Somente agora consegui realmente me concentrar para escrever sobre o filme, apesar de tê-lo visto no dia 18, bem antes de contar o porque só consegui contar sobre o filme agora, vou contar sobre o dia que eu fui ver o filme.

Minha amiga Joana, tinha comprado pela internet os ingressos para ver o filme ela, Mary e eu no dia 18, às 23:55h no cinema do shopping Downtown, cheguei lá mega cedo porque os ônibus que eu pego para chegar na Barra passam pelo Alto da Boa Vista e não queria arriscar pegar um ônibus muito tarde para ir em um caminho que eu acho meio perigoso.

Mais tarde a Jo e a Mary chegaram e enrolamos mais um pouco até dar a hora de entrar no cinema, acontece que nesse cinema os lugares são marcados e quando a Jo comprou pela internet, não tinha muitos lugares disponiveis, de forma que nos sentariamos lá na frente e eu separada das duas, resolvemos então que assistiriamos o filme sentada nas escadas.

Mas enquanto estavamos sentadas na escada lá atras, descobrimos que tinha 3 lugares vagos do lado da onde nós estavamos, parece que tinham reservado, e por isso aparecia como lugar ocupado, mas não tinham comprado, os lugares eram na antipenultima fileira e bem no meio, bem, fomos para lá, tiramos a sorte grande.

Na hora que apareceu o logo da Warner Bross um garoto do meu lado começou a chorar compulsivamente, eu juro que fiquei preocupada com ele, não vou detalhar mais para não falar spoilers sobre o filme, o que eu posso falar é que o filme é muito bom e quem não entende inglês perfeitamente é bom dar uma lida em “Os Contos de Beedle, o Bardo” ou assistir dublado, pois em determinado momento que é falado sobre uma historia do livro, ela aparece em um fundo claro com a legenda em letras brancas, o que torna impossivel de ler.

Agora vamos falar o porque só consegui fazer a postagem hoje, Harry Potter é apenas mais um filme de grande sucesso para todos, mas para mim é muito mais… Eu conheço Harry Potter a mais de 10 anos, eu era uma pré-adolescente quando comecei a ler Harry Potter e hoje no penultimo filme, eu sou uma adulta já, Harry Potter marcou meus melhores anos, marcou minha adolescência, eu diversas vezes fuji para Hogwarts quando estava triste ou deprimida.

Conheci grandes amigos por causa de Harry Potter, amizades que já se foram, amizades que continuam, amizades que já foram e voltaram, tive amigos que foram embora de vez e quando isso aconteceu era como se um dementador tivesse assumido o local, posso garantir que meus melhores sentimentos foram relacionado a pessoas que conheci devido a Harry Potter, então eu tenho muito que agradecer o dia que esse livro cruzou o meu caminho.

Ano que vem vai lançar o ultimo filme de Harry Potter, eu sei que irei chorar muito quando for ver o ultimo filme, pois será o fim de uma longa espera, a cada ano tinha um livro para esperar, um filme esperar, depois do ano que vem, toda essa espera chegará ao fim e as coisas vão mudar muito para mim.

Tenho certeza que os amigos de verdade que eu conquistei ao longo desses anos, continuarão sendo os meus amigos, mas e os outros onde a amizade não foi tão forte, mas foi igual importante? Todos os eventos de Harry Potter como o Baile de Halloween, Potter Rio, Hogwarts in Rio, Potter Con e diversos outros nunca mais acontecerão… Os EP (Encontro Potterianos), as discussões sobre teorias para os livros, sobre a escolha de atores irão acabar de vez… Com o fim do livro é como se todos fossemos realmente embora de Hogwarts e eu já sinto saudade. Eu não estou pronta para dizer adeus a Harry Potter, não estou pronta para dizer adeus a uma saga que influenciou toda a minha vida…